Missionários americanos ajudam brasileiros a aprimorar o inglês e promovem o Evangelho

Quando a Covid-19 afastou a missionária do IMB Caron Johnson de uma viagem (que incluiu uma aula intensiva de inglês em outra cidade), ela contatou Fernando Brandão, diretor do Seminário do Sul do Brasil e diretor executivo do Conselho Nacional de Missão da Convenção Batista Brasileira (JMN), e ofereceu-se para lançar aulas virtuais de inglês.

Sua ideia era conectar voluntários nos EUA com brasileiros para se encontrarem online para conversas em inglês. Qual é uma boa maneira de aprender um idioma? Conversando com um falante nativo. A ideia também teve destaque porque funcionaria ainda para promover o Evangelho.

“É meu objetivo ter líderes de topo em minha equipe”, disse Brandão, que é um líder no avanço do Evangelho. “Então preciso investir em minha equipe”.

Conectar sua equipe às aulas de inglês de Johnson ajuda os batistas brasileiros a ministrar localmente e globalmente.

O inglês é um idioma mundial, usada por pessoas de várias línguas maternas para colaborar internacionalmente.

“Nós nos conectamos em inglês”, disse Brandão, que também é vice-presidente de uma influente rede global de igrejas. Ele disse que os batistas brasileiros são mentores de novos parceiros do Evangelho de outras nações através desta segunda língua compartilhada.

Meio de evangelismo

O inglês também atrai pessoas fora da igreja. O currículo de Johnson, baseado no Livro de Marcos, prepara os alunos para usar as aulas de inglês como uma plataforma de ministério.

Samuel Moutta, vice-presidente do JMN, disse que as aulas de Johnson fornecem uma ferramenta útil para seu trabalho de alcançar as pessoas com o Evangelho, treinar líderes e plantar igrejas.

“Este programa… é maravilhoso”, disse Moutta. “Estamos ... falando sobre a Bíblia, conversando com nossos amigos e ao mesmo tempo desenvolvendo nosso inglês.”

Os batistas brasileiros valorizam sua parceria com os batistas do sul. Eles compartilham um relacionamento centrado no Evangelho de 139 anos. Habilidades em inglês facilitam o diálogo internacional e a parceria entre igrejas, entidades batistas e seminários teológicos.

“É muito importante para nós nos conectarmos. Temos parcerias com igrejas, convenções estaduais, IMB”, disse Brandão, acrescentando que os líderes brasileiros valorizam o “conhecimento batista” e a formação de lideranças adquirida através desses laços.

Mobilizando missões enquanto o mundo está parado

“Eu queria fazer algo para ajudar as missões e ajudar as pessoas”, disse a voluntária americana Kelly Pyron.

Os batistas brasileiros se dedicam a alcançar as nações com o Evangelho de Cristo. Missionários do IMB, como Wendal Mark (segunda linha, extrema direita) e Caron (primeira linha, extrema direita) Johnson, reforçam seus parceiros brasileiros com mentoria e habilidades práticas.

Johnson, que serve com seu marido Wendal Mark no Brasil, queria mobilizar os Batistas do Sul para se unirem aos esforços missionários em 2020, embora fronteiras fechadas significassem viagens canceladas para dezenas de igrejas dos EUA. Os Batistas do Sul não podiam se conectar ao Brasil de avião, mas podiam, percebeu Johnson, se conectar por telefone.

“Sugeri a ideia de auxiliares de conversação para alguns de meus amigos de mídia social”, disse Johnson. “Fiquei maravilhado com a resposta.”

Missões - orando, financiando e servindo - é o batimento cardíaco do Southern Baptist. Nem as restrições de viagens nem o esforço financeiro de uma pandemia global fizeram com que os Batistas do Sul se esquecessem de quem são: igrejas unidas para cumprir a visão de Apocalipse 7: 9 de uma multidão de todas as línguas, povos, tribos e nações conhecendo e adorando nosso Senhor Jesus Cristo.

Voluntários

Pyron é um dos 18 voluntários dos EUA que equipam brasileiros com habilidades linguísticas para facilitar seu papel no movimento missionário. Voluntários adicionais aguardam novos alunos atualmente aprendendo o suficiente para conversar.

Os parceiros de conversa discutem a lição bíblica da semana. Como eles revisam para um exame oral na apresentação do Evangelho dos 3 Círculos, eles são equipados para levar outros a Cristo.

“O objetivo final”, disse Johnson, “é que os alunos brasileiros e os voluntários da SBC trabalhem juntos para compartilhar o Evangelho em um contexto transcultural, aprendendo uns com os outros”.

Pyron está emparelhado com Lorena. Ambos conduzem aulas bíblicas para crianças em suas respectivas comunidades. Seu papel de “parceiros de conversa” passou a ser mentor e encorajamento mútuo.

Da mesma forma, Pat Bryant incentiva a jovem mãe brasileira designada a ela, e o pastor Brandão inspira o pastor Steve Hussung a guardar o tempo a sós com Deus. Bill Rogers, que veio ao Brasil 17 vezes, agora atende Renato, coordenador do ministério do JMN para dependentes químicos ou deslocados e para crianças órfãs ou em situação de rua.

Desde o lançamento das aulas para o Seminário do Sul do Brasil e JMN, Johnson adicionou classes em um seminário adicional e no Krieger Language Center - um instituto comercial localizado no campus do Seminário do Sul do Brasil.

Categoria:

Deixe seu Comentário